Hoje traremos um pouco de conhecimento para você, que está pensando em como escolher com sabedoria seus números da loteria. Embarque nesta breve viagem pelos saberes antigos!

Desde muito antes da matemática como a conhecemos, as atividades humanas sempre estiveram ligadas aos números. Muitas culturas se enriqueceram preservando o uso de um número específico, ou de alguma combinação para representar suas tradições e crenças.

Alguns povos usavam sempre a mesma medida para estender suas lavouras, e outros deixaram registros de sequências que poderiam ser usadas para reunir energias positivas do universo.

Já que essas sociedades prosperaram e nos deixaram grandes legados, que tal usar esses conhecimentos para aumentar nossa boa sorte e espantar o azar? Seguiremos juntos nessa jornada!

Números da sorte pelo mundo

Quem sabe você se identifique com alguma dessas culturas e descubra sua afinidade com um certo número ou combinação. Fique atento também para nossos próximos artigos sobre Numerologia. Confira a seguir algumas tradições numéricas dos povos antigos ligadas à prosperidade e a fortuna, que são usados até hoje, em diversos lugares do planeta.

Números 3 e 4

As cidades do povo Asteca, na América Central, foram construídas usando uma arquitetura que priorizava o três, o quatro e seus múltiplos. Suas grandes pirâmides foram erguidas sempre em quatro níveis, cada um com três ou seis degraus.

A quantidade de distritos da cidade também obedece essa regra, com um número que seja múltiplo de ambos, como 12, 20 e 4, e assim por diante. No México, o uso destes números está ligado à prosperidade, organização e segurança, uma aposta segura para quem quer para si a longevidade do povo Asteca.

Números 1 e 9

Os povos da Grécia e Roma Antiga compartilhavam uma gama de símbolos, e signos, e também desconheciam o número zero. Logo, um e nove eram os limites da interpretação racional do mundo, o Alfa e o Ômega, dentro da filosofia cultivada por grandes pensadores.

Nos países europeus do Mar Mediterrâneo, herdeiros dessa cultura, números iniciados em um e nove são tidos como números da sorte, que vinculam o início e o fim das coisas, uma boa aposta para quem compartilha o desejo de compreender sempre o todo.

Número 0

Você deve estar se perguntando como alguém poderia achar que zero é algo bom, correto? Pois é, em países de origem Árabe este é um símbolo de grande sorte e riqueza, ligado ao comércio e outras atividades econômicas.

Isso se deve ao fato do povo Árabe ser o primeiro a usar o algarismo zero, para representar a linha entre débitos e créditos em seus negócios. Até hoje os povos Árabes se mantém como grandes mercadores e negociadores, que têm o número zero como um símbolo de esforço e enriquecimento honesto que os acompanha.

Números 2 e 5

No Oriente estes algarismos são tidos como um sinal de simetria para aqueles que desejam multiplicar sua riqueza e sua sorte. Desde o Japão Antigo, uma civilização com mais de dois mil anos de existência, presentear alguém com dois presentes (nós estamos acostumados com apenas um) é um sinal de grande apreço pelo próximo.

Acredita-se que a sorte e a fortuna de um multiplica as coisas boas na vida do outro, trazendo prosperidade para ambas as partes e construindo fortes laços de tradição.

E aí, gostou? É maravilhosa a quantidade de coisas que podemos aprender com as sociedades antigas. Fique de olho por aqui, pois vamos abastecê-lo com mais histórias dos números da sorte ao redor do mundo e lhe ajudar a tomar a melhor decisão na hora de jogar na Mega Sena!